ANTES DO DIREITO, A JUSTIÇA

ANTES DO DIREITO, A JUSTIÇA

sábado, 6 de setembro de 2008

RESENHA DO FILME JURÍDICO: “DEANS- UM GRITO DE JUSTIÇA”



O filme é passado na virada do século, no norte da Bélgica, em plena Revolução Industrial. A história é desenvolvida em torno da vida dos trabalhadores de uma fábrica de tecidos, na cidade de Aalst,onde as pessoas estavam condenadas a um estado de miséria absoluta por conta dos baixos salários que recebiam. As imagens de exploração de crianças e mulheres nas fábricas é o ponto alto da trama, pois se trata de passagens chocantes que nos fazem acreditar em um fato que aconteceu verdadeiramente. A vida da sociedade local passa a ter uma nova direção quando chega a cidade o padre Daens, um revolucionário que se muda para o local para morar na casa de seu irmão jornalista, aproveitando-se que o jornal do partido católico estava a sua disposição, Deans passou a escrever artigos contra a política e o sistema de trabalho da época, e desta forma despertou na população o espírito de luta e coragem para lutar pelos seus direitos.
Nesta época, as relações de trabalho modificaram-se, milhares de camponeses mudaram-se para as cidades em busca de emprego nas fabricas, onde não eram proprietários de nenhum instrumento de produção:nem das instalações, nem do dinheiro do investimento, nem das maquinas, nem da matéria prima. O trabalhador era dono apenas de sua força de trabalho, que ele vendia, em condições desfavoráveis, em troca de salário. Desenvolveu-se, então uma oposição social: de um lado os empresários industriais, donos dos meios de produção das fabricas, (matérias-primas, maquinas e equipamentos); de outro, os operários urbanos, trabalhadores assalariados das industrias.
Para desenvolver suas empresas, os industriais precisavam de liberdade econômica, ampliação dos mercados consumidores e mão- de- obra barata para trabalhar nas fabricas. Com o objetivo de aumentar os lucros, o empresário industrial pagava aos operários salários muito baixos, enquanto explorava o máximo sua capacidade de trabalho. Os salários eram tão reduzidos, que para sobreviver, toda a família do operário incluindo mulheres e crianças eram obrigadas a trabalhar nas fabricas, em diversas industrias, principalmente na industria têxtil local, mostrada no filme, eles trabalhavam mais de 15 horas por dia, alem disso, as instalações das fabricas, prejudicavam a saúde do trabalhador e as crianças, como o mostrado, eram muitas vezes vitimas fatais de acidentes de trabalho por falta de experiência com as grandes maquinas.
Com os ideais implantados pelo padre Deans, a sociedade passou a se movimentar, e por conta da exploração do trabalho humano por eles sofrido, gerou conflitos entre operários e empresários. Alguns grupos de operários até invadiram fabricas e destruíram maquinas , pois estas representavam o desemprego, a miséria, os baixos salários e a opressão.
Foi com a ajuda do padre, que a população aos poucos começou a perceber que a luta do movimento operário não deveria ser dirigida á maquina, mais contra o sistema de injustiças criado pelo capitalismo industrial, então,com a criação das organizações operarias, iniciou-se a luta por melhores salários e condições de vida para o trabalhador, e deram origem aos primeiros sindicatos. Daí por diante as coisas passaram a melhorar e as condições de trabalho começou a evoluir a as leis trabalhistas não tardaram a surgir, porem isso tudo foi conseguido com muita luta e esforço, onde muitos operários foram perseguidos massacrados pelos capitalistas.

12 comentários:

ramona disse...

realmente, trata-se de um filme bastate interessante porem com uma historia bastante tragica, dificial é aceitar que em pleno seculo XXI, questoes como esta ainda estao sendo comentadas e discutidas, e que em muitos lugares aida vemos exploraçao trabalhistas

PEDRO disse...

discordo de vc minha cara Ramona, pois hj em dia ñ vemos mais tanta barbarie em questoes trabalhistas, por certo ainda devemos mudar muito, porem ñ devemos deixar de observar que muito já foi feito e nao devemos tapar os olhos p/ os avanços.

Anônimo disse...

Realmente já evoluimos muito por melhores condições de trabalho, mas hoje os funcionários estão praticamente mandando nas empresas, a maioria quer um emprego e não trabalho, pensam no hoje não no amanhã. Só pensam em "direitos trabalhista" e os "deveres trabalhistas"?

Anônimo disse...

Ramona,
O filme remonta o quadro do primeiro operáriado belga que sofria as explorações decorrente da super-produção da Segunda Revolução Indústrial.O "felling" principal é a percepção de como a Igreja vai agir junto com os donos do capital para se manterem no poder.

Anônimo disse...

Está muito bom, retratou a hitória muito bem, mas isso de forma alguma é uma resenha, certo?

Anônimo disse...

concordo com o q disse q isso não é uma resenha. ela apenas narrou o filme. falou do q viu. cade o contexto? a critica?
esse texto ai é fraco.

Anônimo disse...

eu discordo de você pedro, pois barbáries maiores que essa existem sem que nós possamos ver, não acompanhamos a realidade dos cortadores de cana por exemplo,apenas vemos algumas reportagens sobre esta exploração e a prostituição infantil ou adulta por exemplo.parece que quanto mais evoluímos, mais involuímos. sugiro que assista o filme:anjos do sol (brasileiro) isso é o mínimo da desumanidade

Lanne disse...

Parabéns pelo seu texto crítico, de grande ajuda para quem também assisitu o filme. Também gostei de sua contextualização histórica.
Elaine Andrade

Lanne disse...

Correção acerca da regência verbal empregada. No segundo parágrafo leia-se: assistiu ao filme.
Elaine Andrade

Anônimo disse...

um filme de muita qualidade um dos poucos que eu vi








uma merda

Anônimo disse...

Esse filme é muito interessante, mostra perfeitamente, a exploração do trabalho e dos proletariados. mostra as pessoas vivendo em estrema miséria.

Anônimo disse...

Esse filme é muito interessante, mostra perfeitamente, a exploração do trabalho e dos proletariados. mostra as pessoas vivendo em estrema miséria.